Saúde e Sociedade

Chega de gafe. Qual será a próxima letra?

14/01/2022
Alex Ponciano

A gafe aconteceu por volta de 1918, no século passado. Chamaram de “Espanhola” uma gripe, cujas evidências posteriores mostraram ter surgido no estado da Filadélfia. Aconteceu que a imprensa espanhola divulgava notícias sobre a pandemia, e os americanos não. Conclusão: os espanhóis viraram fonte de informação para todo o mundo. E não foi por acaso. Participando da 1ª Guerra Mundial, o governo dos EUA resolveu censurar a imprensa e se calar sobre o assunto, e a corda rompeu do lado mais fraco.

Depois dessa, a OMS – Organização Mundial da Saúde, resolveu designar as variantes do vírus da Covid 19 por letras gregas. Gripe da China, variante de Manaus ou da Índia, por exemplo, são termos que foram proibidos nos corredores da OMS, que fez um acordo tácito com a imprensa internacional de não tocar no nome dessas cidades. Dizem que o etíope Thedros Adhanom, presidente do organismo mundial, deu a letra. “A partir de agora será tudo em grego”. Uns até pensaram que, sendo grego, era para ninguém entender. Mas que nada. Foi uma forma de simplificar a designação por letras mais simples de serem pronunciadas em todo o mundo. Tivemos as variantes Alfa, Beta, Gama e Delta; e em seguida, a Épsilon, Zeta, até a Lambda e Mú, essas últimas menos famosas, pois menos transmissíveis e chamadas de variantes de interesse; chegando na Ômicron. Acho difícil que um ser normal já tenha ouvido falar em Ômicron. De qualquer forma, valeu a intenção, pensei. Mas curioso que sou, fui ao google. Tem alguma coisa errada aí. O Thedros pulou letra! Esqueceram das letras Nu e Xi. Diferentes de nós, os gregos, que falam grego naturalmente, não devem ter gostado nada disso.

Mas esses cientistas, que de bobo não têm nada, também fazem suas políticas. Para não ficarem mal com os americanos e com os ingleses, eles pularam a letra Nu de caso pensado. É que a pronuncia da palavra “new”, que em português quer dizer “novo” podia ser facilmente confundida com a letra grega Nu. “Pula essa, eu não quero confusão com esse pessoal. Vamos para outra”, teria dito. A próxima letra grega causou arrepios. Xi. “Vixe, o Jinping vai me comer vivo”, reagiu, mais uma vez, Thedros, coitado, dando murros na mesa. Se referia ao Xi Jinping, Secretário Geral do Partido Comunista Chinês.

No alfabeto grego, depois da Ômicron, vem a letra Pi. Se você não sabe, essa letra, na matemática, também serve para designar a relação entre o perímetro de uma circunferência e seu diâmetro e dizem que seu valor aproximado é de 3,1415926535899793. Situação cada vez mais complicada.

Para quem acha que usar máscara e se resguardar está cansativo…fique sabendo que a vida não está fácil para ninguém. Mas do que nunca, não temos saída, a não ser vacina, vacina, vacina.

Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete a linha editorial e ideológica do Jornal da Orla. O jornal não se responsabiliza pelas colunas publicadas neste espaço.