Local

Santos comemora Dia dos Ciganos

24/05/2022
Carlos Nogueira/Prefeitura de Santos

É impossível não se encantar com as roupas coloridas adornadas por joias e ouro, além dos sorrisos e olhares fraternos das amigas Imar Lopes Garcia e Maria Sueli Bueno, líderes do coletivo de mulheres ciganas Tsara-Romai. As duas fazem parte de um grupo de mulheres que busca manter as tradições ciganas vivas em Santos, além de combater o preconceito histórico contra esse povo por meio da educação.

Neste 24 de maio comemora-se o Dia Nacional dos Ciganos, mesma data da padroeira Santa Sara Kali. Para Imar, a Cidade é especial para o seu povo, justamente por dedicar uma homenagem à Santa, na Lagoa da Saudade (Morro da Nova Cintra). “Santos acolhe muitas nações, inclusive a nossa. Hoje temos por aqui um símbolo muito forte desse acolhimento que é expressado através da gruta de Santa Sara Kali”.

Mas a alegria evidente nas roupas e nos costumes deste povo não é sempre que tem a reciprocidade desejada. Muitos são os relatos de dor causada pelo preconceito contra o povo cigano.

Imar conta que ainda hoje o povo se depara com a discriminação pelo mundo e atribui à desinformação. “Quando a pessoa não tem conhecimento, acaba tendo atitude discriminatória, mas quando conhece o nosso povo passa a respeitar, pois somos um povo que ama a liberdade”.

A História relata casos de preconceito com ciganos, por exemplo, na Segunda Guerra Mundial, quando o povo foi vítima de atrocidades nazistas, inclusive levado a campos de concentração para extermínio. Na Suíça, até 1972, o governo (sob a desculpa de condições desumanas para as crianças) removia filhos de ciganos para que fossem criados por famílias suíças.

Liberdade
A liberdade que marca esse grupo está impressa na bandeira cigana, que traz nas suas cores o azul do céu, o verde da natureza e os 16 aros de uma roda de carroça, que simboliza o caráter errante de um povo que se espalhou pelo mundo.

Os ciganos teriam chegado ao Brasil em 1574, com os navegantes portugueses. Santos teria recebido o primeiro acampamento do grupo na Baixada Santista e um dos primeiros do Brasil. De acordo com a tradição oral da comunidade, o local teria sido onde hoje fica a Santa Casa. Estima-se que o Brasil tenha cerca de 800 mil ciganos, sendo dois mil na Baixada.

Em Santos, as homenagens à Santa Sara Kali ocorreram no último sábado (21/5). Houve apresentação musical e de dança, missa e procissão.

A visitação à gruta da Santa, na Lagoa da Cidade, é aberta ao público.