Santos

Homem é denunciado por homicídio qualificado após agredir idoso com “voadora”

17/06/2024
Arquivo pessoal

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) apresentou denúncia contra Tiago Gomes de Souza, 39 anos, por homicídio qualificado, após a morte de Cesar Fine Torresi, de 77 anos. A agressão ocorreu no último dia 8 de junho, quando Tiago desferiu um chute no peito da vítima, que resultou em traumatismo craniano e morte após três paradas cardíacas.

O incidente ocorreu na Rua Pirajá da Silva, onde Torresi atravessava a rua de mãos dadas com seu neto de 11 anos. Conforme o boletim de ocorrência, Tiago, que dirigia um carro, freou bruscamente, momento em que o idoso apoiou as mãos no capô do veículo. Tiago saiu do automóvel e desferiu um chute no peito do idoso.

A denúncia, assinada pelo promotor Fabio Perez Fernandez, qualifica o crime como homicídio por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Segundo Fernandez, o idoso encostou no carro apenas para se equilibrar, ação que não justificaria a reação violenta do acusado. O promotor destaca que Torresi, ao cair, bateu a cabeça e sofreu traumatismo craniano, permanecendo inconsciente até sua morte.

A Polícia Militar foi acionada logo após o incidente. Torresi foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Zona Leste, onde não resistiu após sofrer três paradas cardíacas.

Tiago foi inicialmente autuado por lesão corporal seguida de morte, mas a audiência de custódia transformou a prisão em flagrante em preventiva. O advogado de defesa, Eugênio Malavasi, solicitou habeas corpus, alegando a ausência de fundamentos para a prisão. Contudo, o pedido foi negado pelo desembargador Hugo Maranzano, da 3ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP.

Decisões judiciais

O juiz Alexandre Betini, da Vara do Júri de Santos, aceitou a denúncia no domingo (16) e estipulou um prazo de dez dias para que Tiago responda às acusações por escrito. Além disso, Betini determinou que estabelecimentos próximos forneçam imagens das câmeras de segurança que possam ter registrado o incidente. A prisão preventiva de Tiago foi mantida, e o pedido de prisão domiciliar foi negado.

Durante a reconstituição do crime, realizada na última quinta-feira (13), Tiago chorou e pediu desculpas, alegando ter sofrido um “ataque de fúria” após a vítima repreendê-lo por avançar com o carro. Ele afirmou à polícia não ter percebido a gravidade do impacto da agressão no momento.

Vítima

Cesar Fine Torresi era um idoso divorciado que residia em Santo André. Pai de três filhos e avô de seis netos, ele costumava visitar sua família em diferentes cidades, incluindo Santos, Sorocaba e Jundiaí. Segundo seu filho, Bruno Cesar Fine Torresi, Cesar estava indo ao shopping com seu neto no momento do ataque.