Mundo Pet

Estudantes de Santos fazem casinhas de caixas de leite para animais de rua

17/09/2021
Menina ao lado de casinha de caixa de leite para pet

Os alunos da escola Therezinha de Jesus Siqueira Pimentel, no Morro São Bento, em Santos, iniciaram uma campanha que une sustentabilidade e amor aos pets. Eles arrecadaram mais de trezentas caixas de leite vazias e confeccionaram duas casinhas para os animais de rua se protegerem do frio. Uma foi colocada do lado de fora da escola e a segunda próximo ao restaurante Bom Prato, localizado no morro.

Cada casinha, para ser confeccionada, precisa de 94 a 110 unidades, dependendo do tamanho e do formato das caixinhas de leite doadas. Para que não haja umidade na casinha, na parte inferior foi colocada manta apropriada de polietileno. Na parte superior, papelão também deixa o espaço mais confortável para os pets.

Solidariedade

De acordo com os alunos, a casinha do lado de fora da escola já recebe uma cadelinha, apelidada de Floquinha, que também se alimenta e bebe água no local. Durante a semana, são os próprios professores que colocam a água e a comida. No final de semana, o trabalho fica por conta da comunidade.

Para a aluna Stella Mari da Silva Souza, de nove anos, “agora os cachorros de rua entram na casinha, se escondem da chuva e do vento”. Ela achou muito divertida a ação e contou ainda que, na casa dela, tinha muita caixinha de leite, que não tinha destino certo.

Para Luana Castro de Oliveira, de 9 anos, aluna do 4° ano C, o projeto da casinha dos pets feita de caixinha de leite foi um momento de compartilhar bons momentos com os amiguinhos, na volta às aulas presenciais. “Primeiro a gente ia fazer uma casinha para a gente brincar mesmo, mas a gente pensou com carinho nos cachorros de rua que estavam precisando de abrigo, que não têm o que comer, ficam na rua, estão doentes, e ninguém ajuda, né?”.

A professora do 4° ano, Renata Burgos, contou que a ideia surgiu em decorrência do que o mundo está vivendo, em relação ao meio ambiente. “Nós queríamos trabalhar com questões da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), englobando o autocuidado, a responsabilidade, a empatia com o outro. Para que eles agissem como cidadãos do mundo que estão vivendo. Então, como eles podem mudar o mundo? A partir da comunidade, do meio em que eles vivem”, contou.