Sem categoria

Retorno presencial segue não sendo obrigatório nas escolas da rede municipal de PG

21/10/2021
Retorno presencial segue não sendo obrigatório nas escolas da rede municipal de PG | Jornal da Orla

A Secretaria de Educação de Praia Grande (Seduc) segue com as medidas preventivas contra a covid-19 voltadas aos alunos e professores da rede. Por conta disso, o retorno das aulas presenciais permanece opcional e não obrigatório nas escolas municipais. Além disso, os cuidados com os protocolos de biossegurança se intensificaram com o retorno de 100% da capacidade presencial.

 

Na segunda-feira (18) passou a ser obrigatório o retorno presencial para as escolas estaduais e particulares do Estado de São Paulo – SP. Entretanto, no caso das municipais, a decisão cabe às prefeituras de acordo com critérios próprios.

 

Em Praia Grande, a Seduc entende que, por enquanto, essa decisão compete aos pais e responsáveis pelos alunos e o momento ainda é de cautela. Sendo assim, aqueles que ainda não se sentirem seguros em levar as crianças podem optar por permanecer em casa. Desta forma, as aulas presenciais estão acontecendo quatro vezes na semana; no quinto dia, os professores atendem os alunos que continuam a acompanhar as atividades de forma remota.

 

Desde o início da 3ª fase do Plano de Retomada das Aulas Presenciais em 4 de outubro, em média cerca de 50% dos alunos compareceram às salas de aula das 77 escolas da rede municipal. Para a subsecretária de Gestão Pedagógica, Marilena Ferreira, esse número reafirma que o retorno está sendo gradativo, conforme os pais vão sentindo confiança. “Por conta da não obrigatoriedade, alguns pais ainda não se sentem seguros para retornar, ainda mais porque muitas crianças têm menos de 12 anos e ainda não foram vacinadas contra a covid-19”.

 

Apesar disso, ela acredita que o retorno é positivo e benéfico para os alunos. “A volta dessa rotina é importante porque o aluno tem a necessidade de estar dentro da sala, de interagir com os colegas e professores; isso é primordial para o psicológico tanto dos alunos como dos professores”, afirmou Marilena.

 

Com o retorno da capacidade total de alunos, os cuidados com os protocolos de biossegurança redobraram, a fim de proporcionar um ambiente mais seguro para as crianças que retornaram ao presencial e aos docentes. “Com essa retomada, redobramos os cuidados com os protocolos de segurança que começam desde a entrada da escola, dentro das salas de aula e nos corredores, com a disponibilização de álcool em gel; procuramos também manter o distanciamento entre os alunos nas salas e na hora da alimentação, e reforçar o uso de máscara da forma adequada”, disse Marilena.