Comportamento

Vazio existencial x vazio essencial

27/07/2021
Vazio existencial x vazio essencial | Jornal da Orla

Às vezes, sentimos a sensação de que está nos faltando algum sentido na vida, perdemos o interesse nas coisas cotidianas e em alguns momentos, achamos que tudo perdeu o sentido. Em quantos momentos nos deixamos envolver pelas queixas e lamúrias, maldizemos a sorte, julgamos nossos companheiros e achamos que que tudo está indo de mal a pior. Surge um vazio, um imenso abismo prestes a nos engolir, dormimos mal, digerimos mal a nossa comida, nos sentimos incomodados com qualquer ruído, discutimos sem termos razão e por causa disso, muitas pessoas se afastam de nós.

O vazio existencial existe é real e necessário, afinal, a perfeição só existe como conceito, portanto, vivemos perseguindo algo inexistente. Esse tal vazio é um sinal de que precisamos mudar algo em nossa percepção dos fenômenos da vida, algumas pessoas nesse momento, se voltam para a religião e acabam descobrindo algo que sempre esteve presente em si, a fé em algo maior. Outras pessoas, mergulham na ciência, procurando encontrar um sentido para tudo o que ocorre ao seu redor. Outras, se tornam céticas em relação à humanidade e passam a não ter esperança ou desejo de mudança, ficam sempre a espera do pior. 

Talvez, não saibam, mas nossa existência é uma constante transformação, sempre há novos desafios a serem superados, portanto, devemos ter cuidado e não confundir nos tornarmos fortes com nos tornarmos duros, pois tornar-se forte significa aprender com os revezes da vida e dar um sentido a tudo que se faz ou nos acontece. Tornar-se duro se relaciona a nos fecharmos para novas experiências, destilarmos ódio e rancor a tudo que possa causar desequilíbrio e negar-se a acreditar no contínuo processo de transformação da vida.

Falar do vazio essencial significa dizer que o quanto ele é importante para expandir a nossa mente ou percepção de estar no mundo. Ele é necessário para tomarmos decisão, para respirarmos um novo ar e principalmente, para dar um novo impulso à nossa vida. Sempre que possível, deveríamos perder o medo de ficarmos alguns minutos ou horas em silêncio, escutando a voz sussurrada pelo nosso espírito, deveríamos buscar um espaço onde pudéssemos ficar a sós e respirar profundamente para arejar nossa mente e alimentar nosso espírito. Não é preciso muito tempo, somente alguns minutos desse vazio essencial e necessário, para percebermos quanto coisa inútil invade o nosso dia a dia, fantasiadas de importantes e não nos trazem benefício algum. O vazio essencial ocorre em alguns momentos dramáticos de nossa vida, em um leito de hospital, após uma grande perda, ao passarmos por uma grande ameaça ou quando não resta nada a perder.

Hoje, amanheci pensando em uma frase:
“Minhas vitórias me fizeram refletir, minhas derrotas me ensinaram a me renovar”.

Estamos sempre aprendendo e desaprendendo, a pandemia nos revelou um lado cruel de nós mesmos, ou seja, o quanto estamos despreparados para lidar com nossas carências e com nossos semelhantes, o quanto ainda é difícil entendermos que conviver é mais importante do que consumir, o quanto agradecer nos leva ao aprendizado, enquanto a lamúria nos relega à ignorância.

 

* Djalma Moraes é professor, escritor, consultor na área de RH e membro da ABRH – Associação Brasileira de Recursos Humanos – Regional Baixada Santista. Site www.mqs.com.br, e-mail consultorrh@mqs.com.br

 

 


Este artigo é de responsabilidade do autor e não reflete a linha editorial e ideológica do Jornal da Orla. O jornal não se responsabiliza pelas colunas publicadas neste espaço.